Fundada em setembro de 2016 por Gabriela Thobias e Rafael Ferrari, a Skullfish Studios desenvolve produtos para realidade virtual e jogos. Em dezembro de 2016, os sócios se juntaram ao grupo de startups da Kick Ventures e, em janeiro de 2017, a empresa recebeu aporte financeiro e aceleração da Gamefounders, um dos maiores e melhores investidores em jogos do mundo. 

Lila's Tale é o carro-chefe da empresa no momento, que acabou de lançar uma versão do jogo para realidade virtual. “Ganhamos sete prêmios e nomeações com esse trabalho. O jogo conta a história de uma menina que perdeu o irmão dentro de uma masmorra, e você tem que ajudá-la a encontrar a direção correta”, conta Gabriela Thobias, diretora de arte da Skullfish. 

Hoje a empresa tem uma sede no Brasil e outra na Estônia, fruto da parceria com a Gamefounders. Gabriela Thobias conversou com o Blog da Apex-Brasil durante a apresentação dos 25 jogos brasileiros de maior sucesso em 2017, realizada pelo Projeto Brazilian Game Developers, que promove as exportações do setor, no final do mês de novembro, em São Paulo. Criatividade promovendo o melhor de um Brasil inovador, estratégico, sustentável e confiável no mundo dos negócios. Confira a entrevista!

Como surgiu a empresa?
A Skullfish foi fundada em São Paulo, em setembro de 2016. Eu e meu sócio, Rafael Ferrari, trabalhávamos no Blackriver Studios em Manaus. Estávamos num projeto da Samsung, com realidade virtual, por três anos, antes de a iniciativa se tornar pública. E percebemos que havia uma oportunidade de mercado muito grande nessa área e decidimos fundar nossa própria empresa.

Qual o público-alvo de vocês?
Nosso nicho de mercado é o de novas tecnologias. O deviart é um produto muito recente, o VR (Virtual Reality) é um produto muito recente, então a gente ainda está descobrindo junto com o mercado esse nicho. Mas sabemos que é pequeno, mas vem aumentando cada vez mais.

Qual o produto final da companhia? 
Nosso foco são jogos de entretenimento e realidade virtual mobile - deviart ou daydream. A gente também trabalha com consoles VR e temos a expertise para fazer jogos em todas as outras plataformas.

Qual o carro-chefe da Skullfish?
Hoje é o Lila’s Tale. Ele é o jogo que mais chama a atenção na empresa. Ganhamos sete prêmios e nomeações com esse trabalho. O jogo conta a história de uma menina que perdeu o irmão dentro de uma masmorra, e você tem que ajudá-la a encontrar a  direção correta. É um jogo de aventura inspirado fortemente em Zelda, bem intuitivo e fácil de jogar. O jogador controla a personagem e ela tem que enfrentar diversos inimigos. 

Quantas pessoas trabalham na empresa?
Atualmente contamos com seis colaboradores. Para o desenvolvimento do Lila’s Tale, foram seis pessoas também. Eventualmente chamamos prestadores de serviço freelancers.

Vocês têm plano de internacionalização?
Estamos no Brazilian Game Developers, o que já é uma ajuda grande. A empresa já é internacionalizada por conta do apoio da Gamefounders. Quem faz parte do projeto recebe três meses de mentoria, feedbacks e treinamentos. Um dos requisitos da Gamefouders é abrir uma empresa na Estônia, pois lá  os impostos são menores e, com isso, mais investidores podem enviar recursos. Por esse motivo nós abrimos uma empresa lá, e já estamos recebendo recursos de fora. As duas companhias são irmãs e internacionalizadas, e isso ajuda na popularização dos produtos.

Vocês já estão no mercado?
Por enquanto o jogo que já foi lançado é o de realidade aumentada. Está na iTunes Store, da Apple. Quando lançarmos o Lila’s VR, vamos também para a Lotus Store e Samsung.

A Skullfish está participando de feiras no exterior?
Estamos sim. Levamos os demos dos jogos. Mas o foco é maior nos prêmios, pois eles são um chamariz para a empresa lá fora. Temos a intenção também de participar  de vários outros eventos.

Os EUA são o nosso grande objetivo por serem o maior comprador de realidade virtual do mundo, mas também queremos conhecer mais mercados. Em 2018, devo fazer apresentações no Uruguai.

A Apex-Brasil nesse ponto nos dá uma ajuda muito importante, pois podemos participar de eventos de forma mais facilitada.

Conheça a Skullfish: http://www.skullfishstudios.com/

Saiba mais sobre a Gamefounders: http://www.gamefounders.com/ 

Conheça mais casos de sucesso de empreendedorismo brasileiro no exterior em www.bebrasil.com.br/pt