A Tismoo é uma startup de tecnologia com foco em medicina personalizada para autismo. Por meio de uma plataforma que faz análises de sequenciamento genético, a empresa presta assessoria completa ao paciente. Fundada em 2015, em São Paulo, a Tismoo participou da quarta edição do Corporate Venture in Brasil, realizada na capital paulista em outubro, em busca de parcerias de investimentos que facilitem a expansão de seus negócios para o mercado europeu. Começando por Portugal, onde já está presente.  

Para conquistar clientes na terra dos ‘patrícios’, a empresa está trabalhando no desenvolvimento de minicérebros a partir de células de pacientes com autismo para testar remédios específicos para aquela pessoa.  “O nosso grande diferencial inovador é oferecer medicina personalizada, também conhecida como medicina de precisão. Por meio de um teste genético podemos tentar identificar uma melhor expectativa terapêutica”, explica Graciela Pignatari, diretora executiva da Tismoo.

Modelo de negócios

Mas como funciona esse modelo de negócios? “A gente começou fazendo um B2C para os pacientes e hoje o que queremos é fazer um relacionamento com os médicos e expandir isso para ser um B2B2C e também fazer conexões com hospitais e seguradoras de saúde para trazer esse laudo para nós”, explica Graciela. 

Entre os potenciais clientes da Tismoo estão grandes hospitais e laboratórios. A ideia é oferecer a solução na parte de bioinformática e uma análise específica especializada com base em três pilares principais: genética, ciência de dados e modelagem de doenças. “No Brasil, fazemos genética e ciência de dados. E fazemos teste genéticos e laudos especializados em autismo”, complementa Graciela.

Video institucional da Tismoo mostra como a empresa usa a genétia para cuidar do autismo

Empreendedorismo social

Por ser enquadrada num modelo de negócio conhecido como social enterprise, a Tismoo também tem a preocupação de produzir conteúdo relevante sobre autismo. “Temos um portal com textos de interesse para famílias ou pessoas e profissionais que tenham relação direta com o transtorno do espectro do autismo. Fazemos uma curadoria para que a informação publicada traga conhecimento técnico com base em conteúdos produzidos por especialistas no tema”, explica.

Para Graciela, a participação da Tismoo no Corporate Venture in Brasil com o apoio da Apex-Brasil foi bastante produtiva. “Foram dois momentos que agregaram muito valor: o treinamento com especialistas a apresentação para os investidores. Também tivemos uma primeira rodada de conversas com um investidor-anjo e agora passamos para uma segunda rodada. Sabemos que o relacionamento (networking) é muito importante, então aproveitamos para fazer essas conexões”, conclui.

Saiba mais:

Casos de sucesso de empreendedorismo brasileiro no exterior

Tismoo

Corporate Venture in Brasil