Muito mais do que uma divertida rede social, o Twitter é, na verdade, uma ferramenta de trabalho essencial na rotina do departamento de Departamento de Relações Governamentais do escritório da Apex-Brasil em Bruxelas. Assim nos conta a analista da área Priscila Quaini, que nesta semana colabora com o Apex-Brasil Indica.

Priscila diz que, diferente de outros lugares, na Europa, o Twitter é utilizado marcadamente no âmbito profissional e é um dos principais meios de comunicação institucional. Não é por acaso o interesse do escritório da Apex-Brasil na plataforma. Uma pesquisa recente em Bruxelas mostrou que jornalistas admitiram ser esta a mídia social mais relevante do momento. ‘‘Ela agrega ao trabalho de todos que necessitam de informações sobre uma ampla gama de assuntos, vindas das mais diversas fontes, e em tempo real”, diz.  

Priscila diz que para extrair o melhor do que se é publicado na rede usa o TweetDeck, um programa que permite ao usuário publicar, acompanhar e gerenciar perfis no Twitter. “Com ele podemos acompanhar os debates em diferentes hashtags, seguir de perto as contas mais estratégicas, e manter um olho no panorama mais amplo das agendas que seguimos, tudo a um só tempo”, explica Priscila. “É um excelente complemento às demais ferramentas de monitoramento de que dispomos”, diz.

A ferramenta é mesmo fundamental no escritório de Bruxelas, já que o monitoramento político e regulatório, temas altamente voláteis, estão na base da atuação da representação da Apex-Brasil no exterior. “Nosso time monitora desde temas macro, como o andamento de negociações comerciais da União Européia, até o posicionamento das instituições europeias e demais atores sobre temas micro que possam ter impacto sobre as exportações brasileiras, como regulações de químicos, requerimentos sanitários e fitossanitários, padrões de rotulagem, etc.”, diz. 

Para Priscila, muito mais do que fornecer informações pontuais, o Twitter permite medir a “temperatura” em Bruxelas sobre um determinado tema - o quão controverso ele se mostra, a dimensão e velocidade de suas implicações e quais vozes estão presentes no debate. “Essa visão é o que nos permite prestar apoio às entidades em suas ações de promoção e defesa de interesses na União Europeia, conclui. 

Abaixo alguns dos perfis sugeridos por Priscila Quaini para quem tem interesse em comércio exterior:


@Trade_EU ‏- International Trade Department of the European Commission.

@MalmstromEU -  EU Commissioner for Trade

@EP_Trade – International Trade Committee, European Parliament

@ECIPE - European Centre For International Political Economy

@sdonnan - World Trade Editor for the Financial Times