• Home
  • > Notícias
  • > BARIONI ASSUME APEX-BRASIL E QUER EXPANDIR AÇÕES DA AGÊNCIA
sexta-feira, 27/02/2015
BARIONI ASSUME APEX-BRASIL E QUER EXPANDIR AÇÕES DA AGÊNCIA

David Barioni fez sua estreia na Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) na terça-feira, 24 de fevereiro, e logo no início encarou jornalistas e os funcionários da casa com muita cordialidade e um firme posicionamento: a Apex-Brasil é uma ferramenta do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) e está absolutamente alinhada a suas políticas e estratégias.

 

“Nossa meta é manter um alinhamento absoluto com a política estratégica do Brasil e do MDIC, o que a Apex-Brasil já faz. Somos uma ferramenta de promoção das exportações e atração de investimentos. Em um curto espaço de tempo, vamos atuar na capacitação da indústria e na otimização da produção”, destacou Barioni. Ele afirma que a Agência pode capacitar potenciais exportadores porque tem um corpo técnico competente e preparado para essa atividade.

 

“Apenas 20 mil empresas exportam no Brasil. Isso é pouco para a sétima economia do mundo. Teremos um foco extremo na ampliação desse número. É muito natural para um chileno, por exemplo, abrir uma empresa com foco inicial na exportação e depois no mercado interno, que é pequeno. Mas no Brasil, com um mercado interno imenso, temos que desfazer a imagem preconcebida de que é difícil e burocrático exportar. Não é tão complexo quanto parece”, compara.

 

EXPANSÃO

 

Barioni descartou a possibilidade de a Apex-Brasil fechar alguma de suas nove unidades no exterior e adiantou que estuda a abertura de uma nova estrutura na China, a segunda no país. “Teremos uma gestão calcada na eficiência e com uma ideia expansionista. A verba da Apex-Brasil não é pública, ela vem do Sistema S. Mas isso não quer dizer que não estaremos atentos à performance. Se alguma unidade não apresentar bom desempenho, vamos utilizar ferramentas de gestão e fazer ajustes. Eventualmente, até fechar ou abrir novas unidades, como está sendo avaliado no caso de Xangai, que deve receber um novo escritório da Agência em breve”, explicou Barioni.

 

A expectativa do presidente é usar a sua experiência no setor privado para imprimir maior agilidade nas ações e nos projetos da Agência e contribuir para uma aproximação mais forte com o setor produtivo. “Só conseguiremos aumentar as exportações com um trabalho conjunto”, afirma o executivo. A Apex-Brasil tem, atualmente, 76 projetos setoriais desenvolvidos em parceria com 80 setores da economia brasileira. Os mercados prioritários para este primeiro ano de sua gestão são os Estados Unidos, cuja economia está em franca recuperação; América do Sul, pela proximidade e vínculos já estabelecidos, Ásia e África.

 

PERFIL

 

David Barioni Neto tem 56 anos e é administrador de empresas, com especialização em Administração em Finanças. Foi vice-presidente da GOL Linhas Aéreas e presidente da TAM Linhas Aéreas, cargo ocupado de 2007 a 2009. Para assumir a presidência da Apex-Brasil, Barioni se licenciou de suas funções nos Conselhos Administrativos e Consultivos de renomadas organizações como o Instituto Ayrton Senna, a rede Pague Menos S.A., a LIDE Master (do Grupo João Doria Junior), a Riopar S.A. (empresa do Grupo Fretranspor), a Fundação Dom Cabral e o Programa de MBA Executivo da Universidade de Pittsburgh na América do Sul.

 

Imprensa - Apex-Brasil

(61) 2027-0775

imprensa@apexbrasil.com.br