Menu

Cadastre-se para receber nossas newsletters exclusivas
  • Home
  • NOTÍCIAS
  • APEX-BRASIL AGREGA EMPRESAS DE MÚSICA NA DELEGAÇÃO DO SXSW

APEX-BRASIL AGREGA EMPRESAS DE MÚSICA NA DELEGAÇÃO DO SXSW

17/02/2017

Ao todo, 68 empresas participarão de ações de promoção de negócios e imagem em um dos maiores festivais de Economia Criativa e Tecnologia do mundo

 

A Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) disponibilizou uma nova plataforma de negócios durante o festival South by Southwest (SXSW) 2017, que será realizado de 10 a 19 de março em Austin, Texas: a Brazilian Music Connection. Por meio dela, cinco empresários de bandas que foram selecionadas pela curadoria do festival para fazer shows no evento terão também a oportunidade de participar de painéis e agendas de negócio.

 

Ao todo, serão agora 68 empresas na delegação brasileira que está sendo levada pela Agência para ações de promoção de negócios e imagem durante o festival. Esta é a maior delegação brasileira desde que a Agência começou a organizar a participação nacional no festival, em 2014.

 

“Nosso objetivo foi ampliar as oportunidades de negócios para bandas que já estarão lá mostrando seu trabalho por meio de shows. Elas se somam a oito outras empresas do setor de música da nossa delegação: estúdios, produtoras e plataformas de compartilhamento, que se baseiam em tecnologias inovadores e novos modelos de negócio”, comenta Christiano Braga, gerente de Exportação da Apex-Brasil.

 

Braga destaca que o mercado de música do Brasil está em crescimento e há muitas oportunidades nos EUA. De acordo com estudo Global Music Reporter, em 2015 América Latina foi, pelo quinto ano consecutivo, a região com mais alto nível de crescimento em receitas com o comércio de música (11,8%). As receitas com música digital cresceram 44,5%, quatro vezes mais do que a média mundial, e as receitas com streaming cresceram 80,4%. Os dois maiores mercados da AL são Brasil e Argentina.

 

Setores

As empresas participantes da delegação brasileira no SXSW integram ainda os setores de audiovisual, produção publicitária, games, moda, design, marketing, tecnologia e entretenimento. Entre elas, há empresas de pequeno e médio porte com potencial exportador ou já exportadoras, e também startups, que buscam investimentos e parcerias. 

 

Considerado um dos mais importantes eventos para os setores de Economia Criativa e Tecnologia do mundo, o festival já foi palco para lançamento de aplicativos como Twitter, Foursquare, Uber e AirBnB. Em 2016, reuniu cerca de 350 mil pessoas que participaram de mais de 2,4 mil painéis de discussão. O público é formado, principalmente, por empreendedores, investidores estrangeiros e líderes de grandes empresas.

 

“Além de o evento ser uma plataforma de promoção de imagem e reunir players importantes que atuam na chamada economia criativa, os Estados Unidos têm se destacado como mercado com oportunidades para serviços ligados ao audiovisual, artes contemporâneas, games, música, entre outros”, finaliza Braga.

 

Negócios

As empresas terão acesso a plataformas organizadas pela Agência para realização de negócios e prospecção de oportunidades, investimentos e parcerias. Serão sete plataformas formatadas para atender a diferentes maturidades exportadoras e distintos objetivos.

 

O Trade Show é uma feira tradicional de negócios em que 17 empresas brasileiras exporão seus produtos e serviços. Seis dela integram o setor de moda, em uma iniciativa organizada em parceria com o Sistema Moda Brasil, e as outras são dos setores de games, música e produção audiovisual.

 

O Platinum Connection, o Silver Connection e o Gold Connection são plataformas de organização de reuniões entre possíveis compradores e as empresas brasileiras, de acordo com o perfil e grau de maturidade de cada empresa.

 

Em uma das novidades deste ano, na véspera da abertura do SXSW será realizado o Brazilian Directors Showcase, evento de apresentação de 10 produtoras brasileiras para um grupo de compradores norte-americanos, organizada pela Apex-Brasil em parceria com a Associação Brasileira das Produtoras de Obras Audiovisuais – APRO).

 

Participação recorde

O Brasil teve, em 2016, a 5ª maior delegação internacional em termos de números de pessoas inscritas para assistir ou expor no festival, atrás apenas do Canadá, Reino Unido, Alemanha e Japão. Para 2017, a expectativa é que o país fique em quarto lugar em número de inscritos: já há 600 brasileiros cadastrados para participar do evento.

 

A música será outro ponto forte do Brasil no festival. Nove bandas nacionais foram selecionadas e farão shows dentro da programação do festival: Max de Castro, Liniker e os Caramelows, Capela, Autoramas, Lista de Lily, Maglore, ToTi, FingerFingerr e Boogarins.

 

Programação

O SXSW selecionou profissionais brasileiros para liderar onze painéis de sua programação oficial. Além dos painéis, duas sessões de mentoria serão conduzidas por profissionais brasileiros: Igor Kupstas, da O2 Filmes, e Felipe Braga, da produtora Los Bragas.

 

A Apex-Brasil apoia dois painéis no evento. Um deles, com o tema Diversity Now: Pushing Boundaries Forward, será apresentado pelos atores Wagner Moura e Alice Braga, que discutirão a presença de atores latinos americanos em Hollywood.

 

O segundo, com o título Brazilian VR: Creativity to hit million of views, será feito pela O2 Filmes, que vem focando no tema: a produtora já fez 360 vídeos em Realidade Virtual (VR), com mais de 50 milhões de visualizações em 2016.

 

Também com apoio da Agência, ocorre o Meet Up “Innovation in Brazil’s fashion industry: a human story of design, technique, craftmanship and, above all, collaboration”. Organizado pelo Sistema Moda Brasil, o Meet Up será apresenatdo pelo estilista Ronaldo Fraga e pelo consultor de moda e design, Evilásio Miranda.

 

Confira os outros nove painéis que terão participação de brasileiros:

 

Educação

Eduardo Valladares, do site Descomplica, apresentará uma palestra com o tema Just Small Change: How to Teach Students Autonomy, em que falará sobre como ensinar os estudantes a terem autonomia de estudo. A ideia é que eles assumam a responsabilidade e aprendam a se organizar para aprender.

 

O painel Students as Education innovators debaterá estratégias para engajar estudantes na co-criação e implementação de inovações educacionais. O grupo Porvir está organizando o painel e apresentará a pesquisa  Nossa Escola em (Re)Construção, que ouviu mais de 135 mil jovens de diversos estados do país para entender como gostariam que a escola fosse e como gostam de aprender. A discussão contará com a presença de Mailson Cruz de Aguiar, estudante de 19 anos que participou da construção do questionário da consulta e da análise dos resultados. A inovadora social Bruna Waitman, do Media Education Lab (MEL), vai levar para o debate a experiência na construção e aplicação de uma metodologia de escuta e co-criação em São Miguel dos Campos, em Alagoas, e em uma escola ocupada em Goiânia, em Goiás, disponíveis na plataforma Faz Sentido. A mediação do debate será feita pela diretora do Inspirare, Anna Penido.

 

Ainda no tema da educação, no painel How to Engage over a Million Teachers Everyday, Leandro Beguoci, da associação Nova Escola, debaterá com Denis Mizne, da Lemann Foundation, sobre estratégias e plataformas de diálogo com professores.

 

Startups

No tema de empreendedorismo e startups, o painel Not Another Valley:  Startup Hubs in Latin America captará a experiência de hubs de startups no Brasil, Colômbia e México e discutirá a criação de ecossistemas que favoreçam o surgimento de novas empresas. Bruno Peroni, da Semente Negócios, será o debatedor do Brasil.

 

Moda

No tema da Moda, o consultor de moda e design Evilásio Miranda falará sobre o tema Indie (Yet Global) Fashion Businesses, em que discutirá estratégias e ferramentas para que a moda independente tenha alcance global.  

 

Criatividade

No workshop Hack Creativity with Neuroscience, Arts and Tech, Elisa Gijsen, da organização brasileira FLAGCX, que funciona como aceleradora e consultora de srtarutps, discutirá com o neurocientista do MIT e artista Adam Haar Horowitz, como ocorre o processo criativo e como alguns métodos podem ser usados para estimular novos insigths.

 

Arquitetura

O professor de Arquitetura e Urbanismo do Centro Universitário Belas Artes de São Paulo, Alexandre Kuroda, apresentará o painel From Mud Cracks to Buildings: Endemic Interstices, que abordará processos computacionais para a elaboração de modelos de arquitetura.

 

A apresentação discorrerá sobre o uso de formações não lineares complexas organizadas por meio de ferramentas digitais de design, inspiradas nos padrões de rachaduras de várias formações de terra, e usadas para gerar estruturas de edifícios que possuem estabilidade estrutural, proteção solar e controle de fluxo de ar.

 

Música

Os brasileiros do projeto Around the World in 80 Music Videos serão palestrantes na conferência Making Film & Episodics. Idealizado por Leo Longo e Diana Boccara, o ATW80 consiste na filmagem de videoclipes em plano- sequência, com 80 bandas ao redor do mundo. Os vídeos estão sendo produzidos desde março de 2015, de forma que semanalmente - as segundas-feiras - o material é publicado, em conjunto com um episódio de making of, no canal do Youtube.

 

Cinema

O Videocamp – plataforma criada por brasileiros para conectar filmes com um propósito social a audiências em todo o mundo será apresentado no painel: Air BnB of Movie Theatres: Free, Anytime, Anywhere. A plataforma já promoveu exibições de mais de 7 mil filmes, em 52 países. 

;